diumenge, 27 de març de 2016

Falta pouco

Falten hores per pujar a l'avió que em durà a Lisboa.

La gala d'homenatge a José Manuel Castro és una de tantes excuses per tornar al bressol del fado on em sento com a casa. Potser sigui una excusa més però certament ha estat la definitiva, perque l'amic Zé ha quedat demostrat que és una persona estimada de la família fadista.

Fa uns anys vaig demanar-li al meu amic Américo que fes un dels seus "pequenos-nadas" dedicat a l'amic Zé, i va fer aquest "Poentes Outonais" que avui li robo per portar-lo al meu cantinho.
Obrigado Américo. Até breve Zé. 




Poentes outonais

José Amaro / Jaime Santos 
Este tema foi gravado por Alice Maria com o título *caem folhas p'la cidade*
Repertório de José Manuel Castro


Vens falar-me neste Outono / No calor do Verão passado
Acordar-me em pleno sono / De um amor desencontrado

Se ainda te amo, perguntas / Se ainda te quero, queres saber
Somos duas sombras juntas / Dia enevoado, entardecer

Nosso fado foi desgosto 
Sol já posto em tom vermelho
Somos corpos sem ter rosto
Lado oposto doutro espelho
Caem folhas p'la cidade
São poentes outonais
Como é livida a saudade
Meu amor, não chores mais

Somos tática viagem / Sem regresso, sem sentido
No amor não há paragem / E o regresso é proibido

Gestos languidos, doridos / Sob a luz crepuscular
Noite calma dos sentidos / Não me venhas recordar

Cap comentari: