dilluns, 21 de maig de 2012

Liliana Santos

Des de la casa de Fados Coração de Alfama, us deixo amb la Liliana Santos, acompanyada pel Paulo Jorge a la guitarra i pel Chico do Carmo a la viola


Alfama


Ary dos Santos / Alain Oulman

Quando Lisboa anoitece como um veleiro sem velas
Alfama toda parece, uma casa sem janelas
Aonde o povo arrefece
É numa água furtada, num espaço roubado à mágoa
Que Alfama fica fechada em quatro paredes d'água

Quatro paredes de pranto, quatro muros de ansiedade
Que à noite fazem o canto que se acende na cidadeFechada em seu desencantoAlfama cheira a saudade

Alfama não cheira a fado, cheira a povo, a solidão
Cheira a silêncio magoado, sabe a tristeza com pãoAlfama não cheira a fado
Mas não tem outra canção.


O nome que tu me davas



João Monge / Armando Machado *fado sta luzia*
O nome que tu me davas
Quando à noite me chamavas
Tinha o dom de uma oração
Não tinha som nem palavras
Mas quando tu me chamavas
Nunca te disse que não

Já o vi escrito na lua
Nas pedras da minha rua / E nas candeias do céu
O nome que tu me davas
Quando em silêncio cantavas / Era mais teu do que meu


Não era dor nem bondade
Amor fado ou saudade / Nem a lágrima perdida
O nome que tu me davas
Quando á noite me chamavas / Era toda a minha vida