dilluns, 5 de setembre de 2011

Portugal e suas canções

Aquest és el títol d'un LP que va gravar en Max el 1966, amb músiques de la seva Madeira natal e alguns clàssics com Sinal da Cruz, A Rosinha dos limões, o aquest que sentirem ara.

Tinc la sort de tenir amics que em fan arribar aquestes perles, avui molt difícils d'aconseguir. Només puc dir-los: Muito obrigado!

Poema del prolífic Artur Ribeiro amb música de Carlos Rocha.

Perdida





Artur Ribeiro / Carlos Rocha 

Não rias não faças troça / De quem passa enquanto danças
Já foste menina e moça / Já tiveste louras tranças

Agora louca e perdida / De tudo o que já foi teu
Andas a rir divertida / Do mundo que te perdeu

Assim perdida
Da vida ausente
Estás convencida que esta vida é só o presente
Mas não te esqueças
Que a boa estrada
Só aparece depois da má terminada

Deixa a roupa da desgraça / Cair de manso a teus pés
E verás que bem se passa / Sem luxos nem cabarets

E de novo assim vestida / Duma maneira diferente
Deixarás de ser perdida / Serás mulher novamente.


 Porto Santo és el nom de l'ilha on va néixer en Max, i li canta aquest poema que va li va dedicar i on queda palès el sentiment de pertinença a un lloc. No puc evitar d'emocionar-me sempre que l'escolto. I sentir desitjos d'anar-hi....

Porto Santo

Max / Liberto Lopes / Teodoro Silva
Repertório de Max
Oh ilha do Porto Santo / Da uva tão saborosa
O teu Sol, é um encanto / Tua praia, é a mais formosa

Até Zarco ao descobrir-te / E ao pisar teu solo amigo
Foi quase como a pedir-te / Protecção e puro abrigo
Terra amiga... como tu não há igual
És a jóia mais antiga... das jóias de Portugal
Porto Santo... o nome te fica bem
Por isso te quero tanto... como quero á minha mãe

Oh linda ilha doirada / Da água pura e sadia
Da Lua tão prateada / Do sossego e da alegria

Tens os teus velhos moinhos / Moendo o pão do senhor
E nos beirais, os pombinhos / Atiram canções de amor.


Um muito obrigado aos meus amigos do Porto, Madeira e Geneve