dimarts, 1 de setembre de 2009

Evocação


Un dels primers fados que vaig escoltar d'en Fernando Farinha, va ser aquest "Evocação" en el qual fa referência a la seva infantesa i la seva relació amb el Fado. Ell n´`es l'autor de la lletra.
En aquell molts dels noms als quals fa esment la lletra, no els coneixia, i tot i això em feia -i encara ara- posar la "pell de gallina" quan l'escoltava.
És un homenatge, aquest fado, i una mostra de gratitut cap aquells que et marquen la vida, amb aquells que formen part de la teva infantesa i de la teva formació.
Fa temps que volia posar-lo al blog, i no ha pogut ser fins ara perque m'ha costat un poquet fer la transcripció de la lletra -encara el meu português és molt "fraquinho"- He aprofitat aquests dies de vacances per pulir tot el que pogut la lletra d'aquest "Evocação". Suposo que hi ha errades, segur! i espero que els amics de Portugal que s'acosten al blog m'ajudin a pulir la lletra en els seus comentaris.
La admirada i benvolguda editora del blog Fadocravo va publicar el 10 de Juliol aquest mateix fado, en una versió de "fado corrido". La que aqui escoltem és un pèl diferent i cantada en directe.

Estou certo que a minha amiga "fadista" vai-me ajudar nesta dúvida que tenho sobre a música deste fado!
Obrigadíssimo



Evocação

De pequeno comecei
A cantar por todo o lado,
Bem cedo me acostumei
A saber o que é o Fado.

Fadistas que deram brado
Tive o prazer de escutar,
A sério, não a brincar,
Como fazem os de agora,
E sem querer bendigo a hora / Em que aprendi a cantar.

Proença, Maria Emília,
José Tovar, Vianinha,
Filipe Pinto e a Ercília,
Que no Fado foi Rainha

Marceneiro alfacinha,
Mais vibrante e fadistão,
O Calisto o Refilão,
Campos, Varela, Porfírio,
Nomes que foram delírio / Dentro da nossa canção.

Armandinho virtuoso
Da guitarra portuguesa,
Lucília, Berta Cardoso,
Estrelas de enorme grandeza

Hermínia foi com certeza
A mais castiça e bairrista,
Amália foi a estilista
Que ao mundo o Fado levou,
E em letras d’oiro marcou /Uma geração fadista.

Todos no fado agradaram
Sem vaidades, sem desdem
E nem sequer precissaram
De copiar em alguém.

Do que ficou para além
Só me resta por herança,
Esta saudosa lembrança
Desses tempos que eu vivi,
E dos fadistas que eu vi /Nos meus tempos de criança.

7 comentaris:

Fadista ha dit...

Olá, Jaume! Até que enfim, voltou!
Então qual é a dúvida?!
Bjinho
Ofélia

jaume ha dit...

Olá minha amiga. Voltei, sim, tudo passa e tudo morre, mas sempre há qualquer coisa a começar.
A dúvida é pela música deste Evocação, que tem um som diferente do corrido, pelo menos aos meus ouvidos.
Então vamos combinar para essa visita?
Beijinho com saudades do seu amigo.
jaume

Manuel Sánchez ha dit...

Caro amigo,

Penso que a letra diz "Muito novo comecei" e "José Tovar".

Já conheci o restaurante de Barcelona.

Saudações ibéricas.

jaume ha dit...

Caro amigo Manuel, o dono do restaurante Lisboa já me disse que passou por lá, e foi pena no coincidir por pouco tempo pois eu passei esse mesmo dia um bocadinho mais tarde. Vai ser para a próxima!
Já corregi o nome do José Tovar, mas não o fiz com o primeiro verso pois eu ouço "de pequeno comecei" nesta versão que publiquei.
Muito obrigado pela visita e o coment e mando-lhe um abraço fadista. Até breve!

Manuel Sánchez ha dit...

Muito obrigado. Estive a ouvi este fado ainda agora, e penso que diz "E a letras de oiro marcou". No Sul sempre dizemos "oiro, loiro, moiro"...

Eu moro em Barberá, mas isso não quer dizer que não possamos combinar um dia no restaurante daí da capitáli.

Saudações ibéricas!

Manuel Sánchez ha dit...

Desculpe lá. Vejo que o verso estava mal na outra página que encontrei com esta letra. Aqui estava correto.

jaume ha dit...

Caro amigo Manuel, o meu obrigado pelos coments que tem feito neste cantinho. Vamos lá entaão combinar oara um cafezinho no restaurante aliás acho que o dono da casa quer trazer de novo a fadista Fernanda Moreira bem cedo.
Um abraço
jaume