dilluns, 31 de març de 2008

Pintadinho

I ha quedat fantàstic

fado de cendra

No son els millors mitjans, però està fet am tot el respecte i "carinyo"


diumenge, 30 de març de 2008

una altra hora curta.............

Cornellà, 30 de Març de 2008

Névoa en concert






Una altra nit que se'ns ha fet curta, una altra nit on ens has fet Sentir, una altra nit per sentir-nos en deute pel que ens dones. Obrigado

dissabte, 29 de març de 2008

NÉVOA




Del cd MAR DE FADO editat el 2002, aquest poema d'Amàlia Rodrigues amb música d'Eduard Iniesta.

ILUSÃO


O mundo fez em bocados
O meu pobre coração
Que eu trazia sem cuidados
Na palma da minha mão

Roubaram-me a confiança
E a ilusão com que nasci
Desde então perdi a esperança
E nunca mais me iludi

A vida desfez em choro
O sol que eu tinha no olhar
Na solidão onde moro
Meus olhos são p'ra chorar

Meus olhos são p'ra chorar
meu coração p'ra sofrer
Minhas mãos para fechar
meu corpo para morrer.



Tornem a ser aqui


Des de dimarts, tornem a la "normalitat".
Una bona notícia: la Névoa té un post al blog http://fadocravo.blogspot.com/ i li ho he agraït a la seva redactora i amiga. Gràcies Ofèlia.

divendres, 14 de març de 2008

Marxem, tornarem el 25


Des d'aqui seguirem escoltant el Fado

dimecres, 12 de març de 2008

Ana Rosmaninho



Vaig descobrir aquesta fadista, ja desapareguda, al blog http://lisboanoguiness.blogs.sapo.pt/
d'en Víctor Marceneiro, nét de Ti Alfredo, un blog més que recomanable. Li vaig fer una petició d'algun fado i poc després el sr. Fernando Batista -que olha a miúdo este blog- em va enviar alguns fados. A tots dos els estic molt agraït.

Eu nasci amanhã.
l. Artur Ribeiro m. A.Duarte (fado laranjeira)

Eu nasci amanhã
no meio dessa gente
toda nascida ontem

ou quando muito agora


Eu nasci amanhã
num ponto irreverente
por isso não entendo
a gente que cá mora.

Eu nasci amanhã

onde não há trincheiras
e onde não fazem guerras
impondo a sua paz

Eu nasci amanhã
onde não há fronteiras
e onde cada poeta
só canta o que lhe apraz

Eu nasci amanhã
onde não há tristeza
sem pobres a morarem

em zona demarcada


E neste mundo hoje
triste acomodado
quem não nasceu no tempo
não tem direito a nada.

Vaig sentir aquest fado per primer cop a Fora de Portas a Loures molt brillantment per Chico Madureira, que crec era l'amo de la casa de fados, i que m'han explicat que ha canviat de lloc.

li agraeixo a Paulo Guerra la seva ajuda en la transcripció del text.


Adelaide Maria

Adega do João a Loubagueira amb l'Adelaide Maria , en Tó en Nuno i els altres amics. Quina nit més bonica!






CHAVES DA VIDA

lletra - Júlio de Sousa
música - Renato Varela (fado Varela)

Eu tinha as chaves da vida e não abri
as portas onde morava a felicidade
eu tinha as chaves da vida e não vivi
e a minha vida foi toda uma saudade.

Tanta ilusão que tinha e foi perdida,
e tanta esperança no amor foi destroçada
não sei porque me queixo desta vida,
se não quero outra vida para nada.

Se foi para isto que nasci
se foi só isto que hoje sou
se foi só isto que mereci
não vou não vou
podem passar-me ao castigo
olhos em fogo tudo acabou
pode passar o amor mais lindo
não vou não vou

Eu tinha as chaves da vida e fui roubada
mataram dentro de mim toda a poesia
deixaram-me a tristeza que há no fado
e a fonte dos meus olhos que eu não queria.

dimarts, 11 de març de 2008

entre homes

La Rita entre dos homes, que sembla que no li fan massa cas, l'un xerrant i l'altre jugant amb el móbil

tenho saudades




as minhas filhinhas a Veerle e a Natacha, Os meus amigos o Paulo e a Isabel (sem óculos) e eu, na Mesa de Frades
23 de Fevereiro 2008 a fotografia é feita muito provavelmente pelo amigo David Castro

Un altre Fado Versículo



Feia temps que no escoltava la Joana Amendoeira i en tornar-ho a fer he trobat aquest fado que a mi em sembla un Versículo i aquest, a més, cantat amb un "jeito" amb un estil molt semblant al de C.deC. Fado da saudade. En fí, jo no hi entenc massa, però........


O que trago e o que trazes

Heldér Moutinho / Miguel Ramos *fado margaridas
Repertório de João Chora
Gravado por Joana Amendoeira na musica do Fado Versículo

Trago um gesto no olhar quando te vejo
E ternura no calor dos meus sentidos
O amor é como um beijo de sobejo
E as paixões são como sonhos proíbidos

Trago toda a primavera em minha voz
E a saudade que há-de vir, eu adivinho
A fogueira de paixão que existe em nós
Queima todas as tristezas do caminho

São meus versos, os teus versos quando canto
São meus sonhos os teus sonhos, nosso fado
Não há fumo, não há névoa, não há pranto
Nem tristezas para morrer no passado

O que trazes já não sei, não adivinho
Pode ser o mar inteiro, a tempestade
Podes ser uma saudade ou um caminho
Pode ser o grande amor da nossa idade

dilluns, 10 de març de 2008

fado versículo


MusicPlaylist
Music Playlist at MixPod.com



En el blog: http://fadistao.blogspot.com/
he trobat aquest fado que a mi em sona igual que el premi Goya donat a C.do C.
FM003 - Bater do Coração (Fernando Maurício)

Bater do Coração

Era amor o que sentia, francamente. Não era desejo não, martírio infindo
Era amor que te trazia, docemente, No bater do coração, num sonho lindo

Se tivesses coração, dentro do peito, Decerto sabias já, mas não te ralas
Já sabias a razão, e qual o jeito, Das pancadas que o meu dá, quando me falas

A bater sempre a bater, se faz loucuras, Se diz sim ou se diz não, bate também
Vá lá a gente entender, certas alturas, O bater do coração, se adora alguém

Ensinei meu coração, sem fingimento, Uma vez a dizer sim, à despedida
Ele teimou disse não, nesse momento, E tu fugiste de mim, pra toda a vida



Fado Versículo - (Alfredo Marceneiro / Moita Girão)

diumenge, 9 de març de 2008

Ti Alfredo



Com que el servidor que fa que funcionin aquestes caixinhas tan boniques, sembla que ja no trebala, o farem amb Imeen que si que funciona...




O Pierrot
Naquele dia de entrudo, lembro bem
Um intrigante Pierrot, da cor do céu
Um ramo de violetas, pequeninas
Á linda morta atirou, como um adeus

Passa triste o funeral, é duma virgem
Mas ao povo que lhe importa, aquele enterro
Que a morte lhe passa á porta, só por ele
Em dia de carnaval, e de vertigem

Abaixo a máscara gritei, com energia
Quem és tu grossseiro que ousas, profanar
Perturbar a paz das lousas, tumulares
E o Pierrot disse não sei, que não sabia

Sei apenas que a adorei, um certo dia
Num amor todo grilhetas, assassinas
Se não vim de vestes pretas, em ruínas
Visto de negro o coração, e resoluto

Atirou sobre o caixão, como um tributo
Um ramo de violetas, pequeninas
Atirou sobre o caixão, como um tributo
Um ramo de violetas, pequeninas

Kátia Guerreiro



Asas (fado georgino)

É no teu corpo que invento
Asas para o sofrimento
Que escorre do meu cansaço
Só quem ama tem razão
Para entender a emoção
Que me dás no teu abraço
Só quem ama tem razão
Para entender a emoção
Que me dás no teu abraço

Eu quero lançar raízes
E viver dias felizes
Na outra margem da vida
Solta os cabelos ao vento
Muda em riso esse lamento
Apressemos a partida
Solta os cabelos ao vento
Muda em riso esse lamento
Apressemos a partida

Aceita o meu desafio
Embarca neste navio
Rumo ao sol e ao futuro
Corta comigo as amarras
Que nos prendem como garras
A um passado tão duro
corta comigo as amarras
Que nos prendem como garras
A um passado tão duro

Esquece o tempo e a dor
Pensa só no nosso amor
Vem, dá-me a tua mão
Sobe comigo a encosta
Porque quando a gente gosta
Ninguém cala o coração
Sobe... comigo a encosta
Porque quando a gente gosta
Ninguém cala o coração


Letra de M Luisa Baptista
Música de Georgino de Sousa (fado georgino)

dissabte, 8 de març de 2008

Na Mesa de Frades com a Tânia Oléiro



sou eu, admirado desta voz que vem do fundo do coração. Não conheço o nome do guitarrista.

divendres, 7 de març de 2008

tribut al fado




He trobat aquest document al yotube del senyor Manuel Silvestre

dijous, 6 de març de 2008

Ofélia



Fa uns dies que aquest post es deia Nova prova de Ofélia. Això era perquè vaig estar aprenent a penjar cançons el bloc, amb unes indicacions que en part eren en anglès i anava força perdut. En Pau em va introduir en aquest tema i li estic agraït.
A poc a poc anirem aprenent. Espero.........

dilluns, 3 de març de 2008

névoa

diumenge, 2 de març de 2008

ja tinc saudades de tornar-hi


la colla a la porta de Mesa de Frades